Arquivo

Archive for janeiro \30\UTC 2015

Branding definitivamente NÃO é identidade visual

111

No dia 21/11/2104, no Facebook um amigo meu me solicitou se eu tinha alguma tabela de preços de criação atualizada, pesquisando na web encontrei uma da ADEGRAF: Associações dos Designers Gráficos do Distrito Federal, e aproveitei para dar uma olhada, quando não foi minha surpresa encontrar o que eles dizem o que é branding no link na página 8 :http://www.adegraf.org.br/downloads/tabela_valores_2013_2015_web.pdf

“É a gestão de marcas. Contempla Criação do Projeto de Identidade Visual (PIV), aplicações da marca para impressos e web, criação de sinalização para veículos, manual de uso de marca, acompanhamento gráfico e diretrizes para campanhas publicitárias.”

E logo abaixo segue a tabela com os itens de: Programa de Identidade Visual, Marcas, Manual de uso de Marcas, Papelaria, Naming e etc. Está nitidamente claro aqui o problema de conceitos, ou seja: o que é branding? O que é identidade visual? Sinalização? Marcas? Naming? etc.

Enquanto esses termos não forem bem definidos, o que teremos é uma enorme bola de neve de percepções erradas sobre não só sobre a profissão de um designer como de um brander, ou gestor de marcas, pois definitivamente, não são a mesma coisa. Quem disse que gestão de marcas só pode ou tem que ser feita por um designer?

Isso é de uma monstruosa ignorância. Branding tem que ser executado sim por um profissional que saiba administrar o que é gestão de marcas. Fiquei muito feliz que nessa minha última turma de branding, que agora tenho no IBMEC, só tivessem dois designers, o restante dos alunos são de diversas áreas que vai da economia, passando por marketing, comunicação e administração. Como o branding se começa de cima para baixo, o brander (profissional de gestão de marca) tem que ter o apoio do CEO/Presidente, Diretoria, Gerentes e principalmente do RH…esse sim será o departamento que irá catequisar os novos embaixadores e guardiães da marca….e continuar educando os antigos para que continuem vestindo a camisa da empresa.

Branding e um trabalho de equipe, mesmo sendo feita por um gestor de marcas interno numa empresa, ele necessita que todos os stakeholders estejam envolvidos. Óbvio que numa empresa pequena é mais fácil de ser implantada, mas branding é para sempre, não basta só fazer um brandbook entregar e pronto…é como um relacionamento entre um casal: para dar certo tem que ser “regado todos os dias”.

Branding definitivamente não é só identidade visual, manual de marca, sinalização. Um bom exemplo é o fato de muitas empresas possuírem um bom design, no entanto um péssimo serviço e atendimento. Cito casos como as empresas brasileiras de telefonia, onde, para a marca, nada adianta suas identidades terem sido criadas pelos maiores escritórios de design do mundo e elas não cumprirem se que as suas promessas básicas. De que adianta vocês conhecerem pessoas super bem vestidas e cheirosas, se elas no dia a dia forem grossas e arrogantes?

Criar um elo de relacionamento, escutar seu público, interagir com ele, antecipar seus desejos são muitos mais importantes num projeto de branding do que simplesmente um projeto de identidade visual. De que adianta o produto e /ou serviço terem uma ótima embalagem se seu conteúdo e sua percepção forem ruins?

Finalizando, no dia 12/01/2014, enviei um e-mail para ADEGRAF, sugerindo algumas alterações na tabela, como por exemplo, adicionando as verdadeiras ferramentas do branding que são:

– Orientação de Brand;

– Seminários de Brand;

– Workshops de Posicionamento;

– Auditorias de Brand;

– Reuniões de Estratégia;

– Jornais de Críticas;

– Grupos de Brainstorming;

– Treinamento de Trabalhos de Equipe;

– Clínicas de Inovação;

– Auditorias de Design;

– Manuais da Marca/ Brandbooks ;

– Publicações de Brand;

– Workshops de Brand

PS: até a data (29/01/2015) desse artigo, infelizmente não tive nenhuma resposta por parte da ADEGRAF.

The 2015 Customer Experience Outlook

The 2015 Customer Experience Outlook-1

E-book gratuito The “2015 Customer Experience Outlook”. Ele é uma coleção de ideias oriundas de autores sobre o tema customer experience, designers e líderes influenciadores ao redor do mundo.
Nele você vai encontrar um artigo do Tenny Pinheiro intitulado “From transactions to Journeys”. E vai também encontrar artigos de amigos como: B. Joseph Pine II & James H. Gilmore (autores de The Experience Economy), Brandon Schauer (Adaptative Path), Dave Gray (autor de ‘The connected Company’), Lisa Lindström (Doberman), Jeanne Bliss, Mike Dyer, Mike Wittenstein, Shep Hyken, Erik Roscam Abbing, Dominic Berg, Kerry Bodine, Fred Leichter, and Brian Solis.
Esse report é uma iniciativa da Doberman.

Download freehttp://pt.slideshare.net/BetoLima/the-2015-customer-experience-outlook-43780621

Fonte: http://tennypinheiro.com/2015/01/20/the-2015-customer-experience-outlook-2015/?preview_id=607

Trust in the Future – O Futuro Além das Marcas (artigo)

Trusth in the Future (Kevin Roberts).cdr

Tradução livre do artigo que deu origem ao excelente livro de Kevin Roberts (Saatchi & Saatchi): Lovemarks – O Futuro Além das Marcas.
Além do design do livro ser fantástico, cada página é elucidativamente inspiradora e nos mostra os rumos e transformações pelos quais as marcas tem passado, para onde ir e o que precisa ser feito quando o assunto é Gestão de Marca.

Download free: http://pt.slideshare.net/BetoLima/trust-in-the-future-o-futuro-alm-das-marcas

Fonte: http://tennypinheiro.com/2015/01/20/the-2015-customer-experience-outlook-2015/?preview_id=607

%d blogueiros gostam disto: